Avaliação psicológica: performance, desempenho e personalidade

Avaliação psicológica: performance, desempenho e personalidade

Já sabemos que a avaliação psicológica é um processo importante para o desenvolvimento pessoal e profissional, tendo em vista que oferece informações importantes sobre o funcionamento psicológico de um indivíduo, permitindo que a empresa planeje ações para o desenvolvimento de habilidades, potencializando, assim, as chances de sucesso como um todo.

O problema é que muitas organizações ainda acham que a avaliação psicológica considera somente a entrega final em si, como uma meta batida ou a contratação de algum talento. Mas o fato é que ela vai muito além. Trata-se de um processo dinâmico e contínuo que oferece informações que podem ser usadas, por exemplo, para entender pessoas, identificar pontos fortes e necessidades de desenvolvimento e para elaborar um plano de ação.

Pode-se dizer que a avaliação psicológica é usada para avaliar o potencial de desenvolvimento e desempenho de uma pessoa, bem como para diagnosticar questões comportamentais, produtividade e condições emocionais.

O que a avaliação psicológica deve levar em conta?

No cenário atual do mundo BANI em que vivemos, é preciso deixar de lado aquele olhar arcaico que visa somente à progressão de carreira e apostar cada vez mais no crescimento pessoal e profissional, o que engloba, por exemplo, investir em saúde emocional, prevenção de acidentes e liderança.

Inclusive, uma pesquisa da Gerdau aponta que não cabe mais nos dias de hoje avaliar somente as entregas numéricas: além do desempenho e da performance, é preciso dar atenção ao comportamento. Assim, a empresa terá mais expertise para tomar decisões assertivas e inteligentes, podendo investir melhor em capacitação, realocações internas e reconhecimento de talentos.

Um outro estudo da WTW evidencia que três em cada dez empresas brasileiras indicam que seus colaboradores sentem que seu desempenho é avaliado de forma justa. Isso porque não basta checar se o profissional cumpriu determinada meta, é preciso enxergá-lo como valor humano. E, assim, avaliar as competências comportamentais para pensar no que eles precisam a longo prazo para atingir os objetivos. Ou seja: é preciso promover insights, desenvolver, além de oferecer feedback, constância e oportunidade.

Veja alguns aspectos que a avaliação psicológica deve levar em conta:

Desempenho

Bom, é possível afirmar que a avaliação psicológica é uma importante ferramenta para entender melhor o desempenho, a performance e a personalidade de um indivíduo. Ao realizar uma avaliação psicológica, é interessante considerar cada um desses três elementos, pois cada um fornece informações úteis para compreender melhor as necessidades e as características do indivíduo. 

O desempenho, por exemplo, é um fator que fornece pistas sobre como o colaborador se destaca em certas tarefas e em situações específicas. Ele pode ser avaliado por meio de testes, como os de inteligência, habilidades cognitivas, sociais e motoras. A testagem ajudará o avaliador a entender qual o nível de desempenho dessa pessoa para o cargo em questão. 

Performance

A performance também é um ponto-chave na avaliação psicológica. Afinal, ela diz da forma como o sujeito se comporta em situações específicas. Por exemplo, a performance de um indivíduo pode ser avaliada ao observá-lo em um ambiente de trabalho ou em uma sala de aula. 

Essa avaliação pode a entender melhor como ele lida com as mudanças e a pressão do ambiente. Por exemplo, é possível avaliar como o indivíduo reage ao estresse e ao cansaço, identificando quais recursos ele pode usar para lidar melhor com essas questões. 

Personalidade

Por último, mas não menos importante, a personalidade diz respeito às características mais profundas do indivíduo, como suas crenças, valores e modos de pensar. Estas ajudam a empresa a entender melhor como o colaborador pensa, age e se adapta a diferentes situações. 

Ao considerar o desempenho, a performance e a personalidade de um indivíduo durante uma avaliação psicológica, o RH consegue compreender melhor o sujeito e ajudá-lo a alcançar seus objetivos. Da mesma forma, essa compreensão também ajuda a empresa a identificar eventuais necessidades, como a criação de programas de desenvolvimento e treinamento personalizados.

Estratégias a se pensar quando o assunto é avaliação psicológica

A empresa moderna precisa ter em mente que o mundo não é mais o mesmo. Nesse sentido, para se destacar frente ao mercado competitivo, é preciso investir em algumas ações. Uma delas é em uma avaliação psicológica que seja 360º. Mas o que é isso? Basicamente, que permita e ofereça aos colaboradores uma comunicação aberta, com feedbacks, espaço para diálogo e ideias, entre outras ações que aumentam a sensação de pertencimento com a empresa.

Investir em tecnologia

Investir em tecnologia também é uma boa pedida. Algumas empresas já contam com processos orientados por meio de dados e softwares que geram dashboards, painel visual que contém informações, métricas e indicadores da organização, com acompanhamento das avaliações e análise individual de performance para decidir sobre promoções, sucessão, transferências e ações de desenvolvimento.

Do mesmo modo, além de olhar para os resultados, é preciso cuidar da saúde emocional do colaborador. De nada adianta ter resultados a curto prazo, mas uma equipe doente a longo prazo, já que isso pode trazer, em algum momento, problemas como turnover absenteísmo

Além dos programas de saúde mental (que podem incluir benefícios como psicoterapia, gympass, apps de mindfulness, entre outros), a empresa pode proporcionar mais treinamentos para os líderes a fim de que eles entendam o que está por trás de uma meta batida. Ou seja, o que o profissional aprendeu, como ajudá-lo a construir a carreira, se ele está motivado, do que ele precisa etc.

Treinamentos voltados para a segurança psicológica também podem ser bastante eficazes para proporcionar um ambiente de confiança, conexão e abertura. Isso ajuda na manutenção da saúde mental de toda a equipe e, consequentemente, aumenta a motivação e a produtividade.

Por fim, uma alternativa bastante assertiva é investir nos testes de personalidade na avaliação de pessoas. Afinal, um teste de personalidade permite à empresa, entre outras coisas:

  • saber se o perfil está apto para assumir o cargo e construir uma boa relação com a equipe;
  • reestruturar setores e realocar profissionais;
  • ter respostas confiáveis sobre cada profissional;
  • formar times integrados e fortes;
  • prevenir acidentes de trabalho;
  • cuidar da saúde emocional da equipe;
  • ter acesso a informações para aumentar a produtividade e a motivação.

Conheça o MAPA

O teste de personalidade MAPA se baseia em uma escala de autorrelato e avalia até 48 traços da personalidade. Isso traz uma análise que pode auxiliar na tomada de decisões dentro da empresa. 

Entre as vantagens, é possível dizer que a ferramenta possui indicadores específicos para avaliação de riscos, sistema de gestão on-line, validação pelo CFP e permite o entendimento completo do sujeito.
Está na dúvida se a sua empresa deve optar por um teste de personalidade? Fale com a gente!