Como ir além da análise de perfil comportamental na hora da contratação?

Como ir além da análise de perfil comportamental na hora da contratação?

“O que eu preciso saber para fazer uma contratação mais assertiva?”. Essa é uma pergunta comum de empresas que buscam as soluções MAPA. Em resumo, o primeiro passo é pensar que são os colaboradores as peças-chaves da organização. Sendo assim, entender melhor como uma análise ampla no perfil comportamental é crucial para uma contratação mais efetiva, afinal, durante o processo é preciso mapear um perfil que tenha a ver com as expectativas da empresa, com a cultura, com o cargo em questão e até mesmo com os resultados esperados.

Então, vamos entender melhor ao que você precisa se atentar para encontrar o candidato que mais se adequa à necessidade do seu negócio?

Delimitando o que é perfil comportamental: como ir além?

Uma das primeiras coisas que se deve levar em conta é a importância de um processo de recrutamento e seleção bem feito, que seja adequado ao tamanho e ao ramo da empresa, pois é através dele que se selecionam os profissionais mais capacitados para utilizar na organização.

Uma seleção bem feita diminui a rotatividade e agrega valor tanto ao colaborador quanto ao negócio, garantindo um atendimento qualificado e alinhado com os valores e objetivos da instituição.

O mapeamento do perfil comportamental fornece informações sobre como o indivíduo tende a reagir frente a algumas situações, ou seja, seus comportamentos.  Nesse sentido, uma análise mais ampla, além de trazer informações sobre o modo de agir, identifica formas de ser e de pensar, trazendo maior profundidade à informação.

Nesse sentido, se a sua empresa está com uma vaga sênior em aberto, algumas competências são necessárias para preenchê-la e ter êxito a longo prazo.  Por exemplo, um profissional sênior, além de ter mais anos de experiência em determinada área, precisa estar preparado para lidar com ampla complexidade de tarefas, é essencial ter poder de decisão, da mesma forma como é imprescindível maturidade profissional,  capacidade para assumir funções de gestão e questões que vão para além de parâmetros comportamentais.

Sabendo desse perfil, o setor de recursos humanos consegue se preparar melhor para fazer o processo de recrutamento e seleção de forma mais certeira, com um olhar mais direcionado. 

Mas como analisar o perfil comportamental de forma mais assertiva?

Entenda o perfil da sua equipe

Bom, primeiramente, é preciso entender o perfil das pessoas que você já tem na sua equipe. Então, vale pensar que um mapeamento de perfil, por exemplo, poderá ser um processo facilitador e que ajudará na maturidade das decisões futuras para seu negócio, inclusive em fatores relacionados a novas contratações.

Trace o perfil da vaga

Depois disso, é hora de traçar o perfil desejado para a vaga. Se for um cargo de liderança, por exemplo, é ideal pensar em pontos específicos, como habilidade na comunicação, desenvoltura, postura, firmeza, entre outras questões.

Considere a missão, visão e valores da empresa

Também é preciso levar em conta a missão e os valores da empresa, bem como as características de cada setor. Buscar colaboradores que se adequem à cultura organizacional é muito importante.

Mas como saber o perfil de uma pessoa? Como saber se ela possui as habilidades necessárias? Como entender os seus valores? Dá para enxergar além do currículo? Felizmente, hoje contamos com ferramentas eficazes que nos permitem entender pessoas por meio de ciência e dados. 

Faça aplicação de testes

Os testes psicológicos, por exemplo, são instrumentos cruciais para o mapeamento e análise de perfil. Hoje em dia, existem diversas metodologias com essa finalidade, entre elas, o teste de personalidade, que permite ao psicólogo ou gestor de RH identificar competências, planejar e ter contratações assertivas.

Analise o perfil comportamental

Depois da aplicação, é hora de fazer um apanhado das informações recolhidas no teste, juntamente com aquelas fornecidas na entrevista, somando-se à análise do currículo. Assim, é possível ter um conhecimento mais profundo do candidato, de forma a entender os seus pontos fortes, suas vulnerabilidades, suas habilidades, capacidade comportamental etc.

Com as informações em mãos, o setor de recursos humanos consegue entender se o candidato possui um perfil mais comunicativo, mais planejador, executor ou analista, por exemplo. 

Veja como o teste de personalidade MAPA pode ajudar o RH

O teste de personalidade MAPA possui diversas funções. Além de ser útil para empresas que desejam avaliar comportamentos de segurança, produção, relacionamento e regulação emocional, ele pode ajudar a área de recursos humanos nos processos de recrutamento, seleção e desenvolvimento. Mas como?

O teste MAPA, instrumento aprovado pelo CFP, permite que a organização tenha uma visão 360º de diversos aspectos do candidato. Afinal, a ferramenta avalia um conjunto de construtos que organizam a personalidade por meio de uma estrutura de fatores testada no Brasil.

Ao avaliar até 48 traços da personalidade, o instrumento traz uma análise que pode auxiliar o RH na tomada de decisões dentro da empresa.

Por exemplo, o teste MAPA permite:

  • Levantar hipóteses na hora de escolher o perfil ideal;
  • Mapear pontos fortes e pontos a desenvolver, sendo possível imaginar como certo perfil se comportaria frente a alguns contextos;
  • Perceber qual perfil mais se alinha ao fit cultural e à vaga em questão;
  • Reduzir a rotatividade;
  • Entender comportamentos por meio de ciência e dados;
  • Mapear competências etc.

Por fim, o teste de personalidade MAPA  é capaz de revelar traços do candidato que não são óbvios e/ou que não podem ser relatados em uma simples entrevista. Além do mais, é uma ótima opção para autoconhecimento ou diagnóstico de transtornos.

Quer saber mais? Converse com um de nossos especial