Como se preparar para o Certificado Empresa Promotora da Saúde Mental

A saúde mental no ambiente de trabalho é um tema que ganhou ainda mais destaque recentemente com a promulgação da Lei 14.831, em 2024, que estabelece diretrizes para a certificação de empresas como Promotoras da Saúde Mental. 

Esta legislação representa um marco importante, reconhecendo que a saúde mental dos trabalhadores é tão crucial quanto sua saúde física. A lei incentiva as organizações a adotarem práticas que favoreçam um ambiente laboral saudável, onde o estresse e outros fatores prejudiciais à saúde mental sejam minimizados.

A obtenção do Certificado Empresa Promotora da Saúde Mental simboliza não apenas o cumprimento de normativas legais, mas também o compromisso da empresa com a qualidade de vida e saúde emocional dos seus trabalhadores a partir de práticas responsáveis e conscientes.

Preparar-se para esta certificação envolve uma série de passos estratégicos, desde a avaliação das condições atuais de trabalho até a implementação de programas de apoio psicológico e a promoção de uma cultura organizacional que valorize a saúde mental.

Entendendo a Lei 14.831

Para se preparar para o Certificado Empresa Promotora da Saúde Mental, é fundamental entender a Lei 14.831, sancionada em 27 de março de 2024. Esta lei institui o certificado como um reconhecimento às empresas que adotam práticas significativas de promoção da saúde mental e bem-estar dos trabalhadores. 

As diretrizes estabelecidas pela lei incluem a implementação de programas de saúde mental no ambiente de trabalho, acesso a recursos de apoio psicológico e psiquiátrico, campanhas de conscientização sobre a saúde mental, e treinamentos específicos para lideranças e trabalhadores. Além disso, a lei enfatiza a importância do combate à discriminação e ao assédio, promovendo um ambiente de trabalho seguro e saudável.

Os principais pontos da Lei 14.831 abordam a criação de um ambiente corporativo que valoriza a saúde mental como parte essencial do bem-estar dos colaboradores. A lei especifica que as empresas devem desenvolver ações e políticas baseadas na promoção da saúde mental, bem-estar dos trabalhadores e transparência na prestação de contas. 

Para obter o certificado, as empresas precisam demonstrar conformidade com essas diretrizes por meio de uma avaliação realizada por uma comissão certificadora nomeada pelo governo federal. O certificado tem validade de dois anos, após os quais é necessária uma nova avaliação para renovação.

Principais pontos da lei e exemplos de ações

Implementação de programas de promoção da saúde mental no ambiente de trabalho

Desenvolver e implementar programas focados em promover o bem-estar mental dos funcionários, incluindo atividades de relaxamento e workshops sobre gerenciamento de estresse.

Oferta de acesso a recursos de apoio psicológico e psiquiátrico

Fornecer acesso a serviços profissionais de psicologia e psiquiatria, essencial para a saúde mental dos trabalhadores.

Promoção da conscientização sobre a importância da saúde mental

Realizar campanhas de conscientização e treinamentos, enfatizando a saúde mental como um componente crucial do bem-estar no trabalho.

Capacitação de lideranças

Oferecer treinamento para líderes sobre a promoção de um ambiente de trabalho mentalmente saudável.

Combate à discriminação e ao assédio

Implementar políticas eficazes para prevenir discriminação e assédio, garantindo um ambiente de trabalho seguro.

Atenção especial à saúde mental da mulher

Destacar e apoiar as necessidades específicas de saúde mental relacionadas a questões de gênero, tais como gravidez, menopausa, e outros, promovendo programas de conscientização e suporte adaptados.

Execução de treinamentos direcionados

Realizar capacitações sobre temas específicos de interesse dos colaboradores ligados à saúde mental, abordando assuntos como estresse, depressão, ansiedade, entre outros.

Monitoramento e ajuste de práticas de saúde mental

Implementar avaliações regulares das estratégias de saúde mental adotadas, fazendo ajustes conforme necessário para assegurar sua efetividade.

Transparência nas iniciativas de saúde mental

Manter uma comunicação clara sobre as políticas e ações de saúde mental, criando canais para feedbacks e sugestões dos funcionários, e desenvolvendo metas claras com avaliações periódicas dos resultados.

Promovendo o bem-estar dos trabalhadores

  • Segurança e saúde no ambiente de trabalho: Adotar medidas preventivas contra acidentes e doenças ocupacionais, incluindo treinamentos de segurança, ergonomia do espaço de trabalho, e a disponibilidade de equipamentos de proteção individual.
  • Equilibrio vida-trabalho: Incentivar políticas flexíveis de trabalho que apoiem os trabalhadores a gerenciar suas responsabilidades profissionais e pessoais de maneira saudável, como horários flexíveis e opções de trabalho remoto. Adotar práticas que não permitam a invasão do trabalho na vida familiar, por exemplo, estabelecer canais de comunicação oficiais, acordos previamente estabelecidos etc.
  • Atividades físicas e lazer: Promover a prática regular de exercícios físicos e atividades de lazer, fornecendo instalações esportivas ou parcerias com academias, além de organizar eventos sociais para a equipe.
  • Nutrição saudável: Valorizar a importância de uma dieta equilibrada, oferecendo opções de alimentos saudáveis no local de trabalho e organizando palestras sobre nutrição.
  • Cultura de respeito e colaboração: Estimular um ambiente de trabalho baseado no respeito mútuo e na colaboração, por meio de treinamentos em habilidades sociais e team buildings, além de adotar políticas firmes contra o assédio e a discriminação.
  • Comunicação efetiva: Fomentar uma comunicação aberta e inclusiva em todos os níveis da organização, implementando canais de comunicação eficientes e incentivando o feedback construtivo.

Transparência e responsabilidade corporativa

  • Divulgação das iniciativas de saúde mental:  Oferecer aos colaboradores um ambiente de trabalho seguro e com práticas efetivas com foco em saúde mental, preocupando em ter ações para além da comunicação sobre o assunto, mas que cuide também da atividade que o colaborador irá realizar, para que ele tenha as melhores condições necessárias para executá-la. Manter uma comunicação transparente sobre as ações e políticas de saúde mental, por meio de newsletters, intranet, e reuniões regulares, assegurando que todos os colaboradores estejam informados e envolvidos.
  • Feedback e avaliação das políticas de saúde mental: Estabelecer mecanismos para coletar feedbacks e avaliações sobre as práticas de saúde mental, utilizando caixas de sugestões, emails dedicados ou plataformas online, permitindo que os funcionários compartilhem suas opiniões de forma segura.
  • Desenvolvimento e monitoramento de objetivos: Definir metas claras e mensuráveis relacionadas à saúde mental e bem-estar, e conduzir avaliações regulares para medir o progresso, incluindo pesquisas de satisfação e análises do envolvimento nos programas de saúde mental, ajustando as estratégias conforme necessário para maximizar sua eficácia.

Essas diretrizes são fundamentais para a construção de um local de trabalho que não apenas busca o Certificado Empresa Promotora da Saúde Mental, mas também se compromete com a saúde e o bem-estar de seus trabalhadores, contribuindo para um ambiente efetivamente promotor da saúde mental através do trabalho. 

Como a Mapa pode ajudar a sua empresa em alguns critérios desta lei?

  • Oferecendo diagnósticos por meio de dados psicológicos e socioemocionais que possibilitem à organização conhecer melhor seus trabalhadores de maneira individual e coletiva. 
  • Capacitando lideranças através do diagnóstico das características psicológicas necessárias ou a desenvolver. 
  • Através de monitoramento periódico da saúde emocional dos trabalhadores. Por meio de dados e indicadores para tomada de decisão, essa constante melhoria possibilita acompanhar as mudanças no comportamento humano e a relação das pessoas com o trabalho.

Entendemos as características psicológicas dos trabalhadores e combinamos a compreensão humana com análise de dados em processos de R&S, T&D, DHO e SST. Confira também nossos instrumentos:

Inventário Psicossocial

Hoje, contamos, por exemplo, com o Inventário Psicossocial, instrumento que investiga a dinâmica da interação entre os aspectos pessoais do colaborador, do seu trabalho e da relação com a organização.

O Inventário Psicossocial avalia os fatores que podem ter um impacto significativo na presença ou na ausência de riscos psicossociais. Essa análise envolve a mensuração de dimensões sociais e sua interação com o ambiente laboral, características e condições de trabalho. A avaliação psicossocial poderá ser aplicada para toda a organização que considera o fator humano e subjetivo como pontos centrais da estrutura de trabalho.

O Inventário possibilitará acesso a fatores psicossociais que podem causar adoecimento ocupacional, ao mensurar aspectos relacionados às condições de trabalho, a práticas de assédio moral, como se dá a relação entre líderes e liderados e a identificação do trabalhador com a organização de trabalho.

Teste de personalidade

Além do mais, contamos com o teste de personalidade, instrumento validado pelo CFP, que conta com indicadores que mostram a suscetibilidade do colaborador se envolver em risco de acidentes, seja por diversos motivos, incluindo saúde mental. Por exemplo, conseguimos avaliar a vitalidade e o equilíbrio emocional do trabalhador, bem como a sua civilidade e nível de energia

Para avaliar a vitalidade e o equilíbrio emocional, o teste busca entender a capacidade do indivíduo de lidar com o estresse e manter a calma em situações desafiadoras. Questões sobre níveis de energia e resiliência emocional também são consideradas.

A civilidade explora a maneira como o indivíduo interage com os outros e sua conduta social. Isso pode incluir respeito pelos outros, capacidade de cooperação e habilidades de comunicação. O teste busca entender se o indivíduo é cortês, educado e respeitoso nas interações sociais.

O nível de energia também é avaliado por meio de questões relacionadas à disposição física e mental do indivíduo. Isso pode incluir os padrões de sono, atividade física, motivação para realizar tarefas e capacidade de se concentrar e manter o foco ao longo do dia. O teste busca entender se o indivíduo tem uma energia alta, moderada ou baixa em suas atividades diárias.

Dentro da escala risco, o teste verifica a disposição e o gosto da pessoa se envolver voluntariamente em situações de perigo nas empresas. Essa escala nos diz de uma pessoa que encara o perigo pelo prazer, aventura ou apenas pelo gosto de se viver perigosamente. 

Os indicadores são relacionados à propensão a maior ou menor grau de risco de acidente. 

Indicadores de risco de acidente por precipitação 

Aqui a pessoa procura agir e tomar uma decisão antes do tempo determinado, por afobação.  São avaliados questões como: Resiliência, imprudência, impulsividade e agressividade.

Indicadores de risco de acidente por negligência

Já nesse caso a pessoa tende a agir ou tomar uma decisão com falta de cuidado, falta de atenção ou desleixo. São avaliados questões como: Vulnerabilidade, Tormento e desânimo.

Saiba mais sobre nossos instrumentos e soluções!