Inteligência emocional no trabalho: como identificá-la nos candidatos?

Inteligência emocional no trabalho: como identificá-la nos candidatos?

A inteligência emocional no trabalho é a capacidade de lidar com as próprias emoções e com as dos outros. Esse conceito é fundamental para o setor de recursos humanos das empresas, pois influencia na produtividade e na satisfação dos colaboradores. Mas como identificá-las nos candidatos? A inteligência emocional também é um critério importante na hora de selecionar e contratar novos profissionais, pois demonstra o potencial de adaptação, comunicação e liderança de cada um.

Para o setor de recursos humanos das empresas, entender a inteligência emocional é essencial. Afinal, ela pode ser bastante útil no momento do recrutamento e seleção de novos perfis. Da mesma forma como para definir políticas de promoções para cargos de gerência, por exemplo.

A seguir, vamos explicar um pouco mais sobre a inteligência no trabalho e como é ela pode ser trabalhada no RH das empresas. Confira!

O que é inteligência emocional

A inteligência emocional é a capacidade de reconhecer, entender e gerenciar nossas próprias emoções e as emoções dos outros. Envolve a habilidade de lidar efetivamente com as emoções, tanto as positivas quanto as negativas, e utilizar esse conhecimento emocional para orientar o pensamento e o comportamento de maneira mais inteligente e equilibrada.

Veja nosso e-book sobre Inteligência Emocional​

Veja ainda: Você sabe o que é a inteligência emocional? Aprenda aqui!

O que é a inteligência emocional no trabalho?

A inteligência emocional no trabalho é a capacidade que a equipe tem de saber como lidar com as suas próprias emoções. Bem como a forma como elas interferem em seu comportamento na empresa.

Os autores Salovey e Mayer discriminam a inteligência emocional nos ambientes de trabalho em cinco etapas:

Autoconsciência

Trata-se da habilidade de saber conhecer as suas próprias emoções. E, assim, saber lidar com os seus pontos fortes e fracos.

Autodomínio

Diz respeito ao controle das emoções e da resiliência. É o que ocorre quando se consegue manter a calma em uma situação de tensão, por exemplo.

Automotivação

Envolve o domínio de sentimentos de perseverança e entusiasmo. Uma pessoa assim cria suas próprias metas para alcançar os seus objetivos pessoais.

Empatia

Significa saber se colocar no lugar dos outros, compreender e respeitar opiniões contrárias às suas.

Habilidades sociais

Facilidade de se relacionar com outras pessoas, sobretudo aquelas que têm outros pontos de vista. Também envolve ser capaz de negociar, gerenciar conflitos e trabalhar em equipe.

Qual é a importância para as empresas?

As empresas precisam ter em seus quadros pessoas que não obtenham apenas conhecimentos técnicos em suas áreas de atuação, mas também a inteligência emocional.

Uma pessoa que sabe lidar com as próprias emoções consegue entregar um trabalho com mais qualidade. Além disso, se relaciona melhor com os colegas, sabe lidar com chefias, entre outras características positivas.

Confira: Inteligência emocional: como desenvolver nos colaboradores?

Como as empresas podem promover a inteligência emocional em seus ambientes de trabalho?

Sensibilização e treinamento

As empresas podem oferecer treinamentos e workshops sobre inteligência emocional, ajudando os funcionários a entender e desenvolver suas habilidades emocionais. Isso pode incluir atividades práticas, discussões em grupo e ferramentas para aprimorar a autoconsciência, a autorregulação, a empatia e as habilidades sociais.

Liderança emocionalmente inteligente

Os líderes desempenham um papel crucial na promoção da inteligência emocional em suas equipes. Líderes emocionalmente inteligentes demonstram habilidades de autoconsciência, autorregulação e empatia, e também incentivam e apoiam o desenvolvimento dessas habilidades em seus funcionários. Eles criam um ambiente de trabalho emocionalmente seguro e estão abertos ao feedback e à comunicação aberta.

Você pode gostar também: A importância do feedback para o desenvolvimento da equipe

Comunicação eficaz

Promover uma comunicação aberta e honesta no local de trabalho é essencial para o desenvolvimento da inteligência emocional. Isso envolve ouvir ativamente os outros, ser claro e direto em suas próprias comunicações, e ser sensível às emoções e reações dos outros.

Cultura organizacional positiva

As empresas podem criar uma cultura organizacional que valoriza a inteligência emocional, incentivando o respeito mútuo, a colaboração e o apoio emocional entre os funcionários. Isso pode ser feito por meio de programas de bem-estar, políticas de flexibilidade no trabalho, incentivos para o equilíbrio entre vida pessoal e profissional e programas de reconhecimento e recompensa.

Feedback e desenvolvimento contínuos

A promoção da inteligência emocional deve ser um processo contínuo, com espaço para feedback regular e desenvolvimento individual. As empresas podem oferecer programas de mentoria, coaching ou outras oportunidades de crescimento pessoal e profissional que incentivem a melhoria da inteligência emocional.

Como avaliar a inteligência emocional de um candidato?

A inteligência emocional pode ser avaliada por meio de uma série de testes que precisam ser aplicados pelo psicólogo da empresa. Hoje em dia, já existem até mesmo sistemas web que podem servir como um completo instrumento para avaliar a personalidade de cada pessoa.

Assim, com base nos resultados dos testes, o psicólogo vai poder indicar qual é o perfil ideal para ocupar cada uma das vagas da empresa. Além disso, também podem sugerir métodos para que os indivíduos desenvolvam as suas questões emocionais.

Então, entender o conceito  é essencial. Isso tendo em vista que essa prática resulta em contratações mais eficazes e melhora do quadro de pessoal. Por fim, para você continuar ligado nos processos de RH, leia o nosso artigo “Como encontrar o perfil ideal para cada cargo da empresa?”.

Converse com a gente!