|

Qual a relação entre saúde emocional e segurança do trabalho?

Qual a relação entre saúde emocional e segurança do trabalho?

A influencia da saúde emocional na segurança do trabalho é um tema que merece atenção no contexto empresarial. Isso porque o bem-estar psicológico dos profissionais é essencial para evitar problemas de saúde relacionados ao trabalho e assegurar uma boa produtividade nas tarefas cotidianas. Além disso, para que os colaboradores possam cuidar da sua saúde mental, a organização precisa proporcionar um ambiente de trabalho adequado.

Já pensou, por exemplo, trabalhar em um local cheio de ruídos, com elementos que atrapalham a concentração ou ter de lidar com falta de equipamentos de proteção individual? Além de aumentar os riscos de acidentes, situações como essas corroboram para o aumento do índice de absenteísmo, turnover e desenvolvimento de problemas emocionais, como o Burnout.

Qual a relação entre saúde emocional e segurança do trabalho?

A importância da saúde emocional na empresa durante todo ano

Para se ter uma ideia, dados da Organização Mundial de Saúde, mostram que os transtornos mentais acometem 30% dos trabalhadores no mundo, ocupando as principais causas de absenteísmo. Quando em ameaça, a saúde emocional pode se manifestar também na piora da capacidade produtiva, ocasionando fadiga, sintomas depressivos e de ansiedade, estresse, mal-estar etc.

Por exemplo, um ambiente marcado por pressão, jornadas longas, desequilíbrio nos repousos, centralização de demandas e ausência de diálogo ou feedbacks pode provocar problemas de saúde emocional no trabalho. Isso, por sua vez, impacta na produção, na motivação, nas relações com os colegas e no sucesso da empresa. Inclusive, a falta de engajamento e cansaço podem contribuir para o aumento de acidentes de trabalho.

Por esse e outros motivos, a empresa deve traçar estratégias com foco na saúde mental – que vai muito além da saúde física –  e no quesito segurança do trabalho. 

Por que investir em segurança do trabalho na sua empresa

Qual a relação entre saúde emocional e segurança do trabalho?

A segurança do trabalho se apresenta como um conjunto de normas, atividades, medidas e ações de prevenção que garantem a saúde física, emocional e a segurança do ambiente corporativo. 

As Normas Regulamentadoras (NRs), por exemplo, vieram para padronizar e regular a atuação das empresas frente às melhores práticas de saúde e segurança para os seus colaboradores. Elas abrangem os principais aspectos que impactam a atividade e regulamentam desde o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), procedimentos de atividades específicas, até o processo de avaliação psicossocial obrigatória.

Ou seja, podemos dizer que a segurança do trabalho vai muito além da prevenção de acidentes. Na verdade, uma área voltada para a segurança toma conta de diversas documentações, programas, laudos, sendo indispensável para o bom funcionamento das organizações.

Nesse sentido, uma empresa que se importa com a segurança no trabalho costuma estar em dia com a legislação, o que evita multa e gastos desnecessários. Somando-se a isso, existem vários programas e ações voltados para a saúde e segurança do colaborador. 

A exemplo, podemos dizer que uma boa gestão organizacional conta com fatores como a segurança, os programas de prevenção de riscos, o cuidado com a ergonomia, o uso de equipamentos de proteção e questões que podem afetar a saúde mental do trabalhador.

Como cuidar da segurança do trabalho e da saúde emocional?

Investir em EPIs e medidas de proteção, como sinalização nos ambientes;
Contratar profissionais que estejam alinhados à cultura da empresa;
Oferecer atividades que promovam a saúde mental, como atividades físicas, ginástica laboral ou meditação;
Realizar treinamentos regularmente para capacitar o time;
Garantir boas condições na execução das tarefas;
Ter uma comunicação clara, eficaz e transparente;
Fiscalizar o cumprimento das Normas Regulamentadoras;
Investir na ergonomia do funcionário a fim de evitar dores musculares, cansaço ou fadiga;
Propor palestras que abordem a temática dos transtornos psicológicos e como todos os trabalhadores podem contribuir para a prevenção;
Estar atento aos riscos, que podem facilitar acidentes ou doenças ocupacionais.

Mais do que isso, as empresas precisam entender que as boas práticas de segurança do trabalho são investimentos e não custos. Entre outras questões, quem paga menos impostos de acidentes e afastamentos por doenças ocupacionais preserva a economia da empresa. Então, vale a pena investir em EPIs, contratação assertiva, capacitação de pessoal, programas voltados para a saúde mental, benefícios etc. 

Essas ações permitem que a empresa alcance melhorias nas condições de trabalho. Além disso, reduz acidentes e contribui para o bem-estar e produtividade. Para saber mais sobre segurança do trabalho, confira também o nosso e-book sobre risco de grau 4.

Resultados do investimento em saúde emocional e segurança do trabalho

Como resultado, a empresa:


Cria um ambiente de trabalho mais participativo, saudável e seguro;
Aumenta a produção e o engajamento dos colaboradores;
Fortalece o comprometimento da equipe;
Repara as falhas;
Fortalece a liderança;
Melhora a imagem da empresa;
Facilita a tomada de decisões;
Reduz índice de doenças profissionais e doenças do trabalho.

Além disso, conhecer bem a equipe permite que a empresa entenda como anda a saúde emocional de cada um. Então, que tal entender os seus colaboradores por meio de ciência e dados?

Conheça a MAPA 

Ajudar as empresas a serem mais assertivas em seus processos, atuando na prevenção de acidentes e no valor humano, é uma de nossas metas.

O teste de personalidade MAPA, por exemplo, pode ser uma ótima opção para ajudar a empresa a traçar estratégias que previnam o adoecimento mental, já que ele consegue perceber diversos traços no colaborador, além de levar em conta as suas características e competências dentro de um contexto histórico.

Ele gera indicadores que identificam o quanto estão presentes os comportamentos de precipitação ou imprudência, por exemplo. Isso sem falar da análise de competências, que verifica os aspectos emocionais. 

O teste psicológico também destaca os fatores de risco para cada contexto e setor, pontuando as características que funcionam como medidas de proteção, que também podem impactar quando o assunto é promoção de um ambiente saudável.

Venha entender a disposição física, emocional e as habilidades de cada um dos seus profissionais e tenha em mãos uma solução eficaz e segura, embasada pelo Conselho Federal de Psicologia!

CONVERSE COM UM DE NOSSOS ESPECIALISTAS!