Recrutamento e seleção: como deixar o processo mais assertivo e motivar os candidatos

Recrutamento e seleção: como deixar o processo mais assertivo e motivar os candidatos

Um processo de recrutamento e seleção assertivo tem o objetivo de encontrar profissionais que se adequem à cultura organizacional de modo a fazer o negócio crescer e se destacar no mercado. Na verdade, é uma via de mão dupla: da mesma forma que traz benefícios à empresa, um RH bem estruturado também motiva e engaja a equipe.

O problema é que, por vezes, encontramos contextos que podem desmotivar os candidatos. Falta de planejamento, ausência de plano de cargos e salários e poucos benefícios são alguns exemplos.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura!

A importância de um bom processo de recrutamento e seleção 

Em um mercado cada vez mais competitivo, ter talentos no time faz toda a diferença para o desenvolvimento organizacional. Nesse sentido, o setor de recursos humanos tem a missão de atrair e escolher um perfil que se alinhe à cultura e aos valores da empresa. 

Um bom processo de recrutamento e seleção facilita a permanência de pessoas que compactuam com os objetivos e metas da organização. E precisamos nos lembrar que são as pessoas o ativo mais valioso de uma empresa: são elas que impulsionam o progresso do negócio, que se engajam no desenvolvimento de projetos, que apresentam ideias e geram um bom clima organizacional.

Isso significa que quando a instituição tem um bom quadro de colaboradores, ela tem uma maior probabilidade de alcançar as metas planejadas e sobreviver no mundo corporativo com sucesso. 

Veja: Como usar o MAPA além do processo de Recrutamento e Seleção

Vantagens

Para se ter uma ideia, uma das vantagens de um processo assertivo é a redução do turnover. A rotatividade alta pode comprometer, por exemplo, o balanço financeiro da empresa, no que se refere ao pagamento dos direitos trabalhistas, investimento em um novo processo seletivo, custos com a adaptação do novo colaborador etc.

Outro benefício, e o mais valioso, é a organização contar com pessoas com habilidades e comportamentos que condizem com o perfil da empresa. Pense em um quebra-cabeça: uma contratação assertiva fará o encaixe daquela pecinha que faltava para o bom funcionamento do negócio. Dessa forma, o profissional escolhido se sentirá mais seguro para desempenhar a sua função com maestria, o que facilitará o crescimento da organização.

Com isso, há o aumento da produtividade. Um bom processo recruta os perfis mais preparados para os desafios da empresa. Quando há o “match” entre empregador e empregado, o colaborador tende a ser mais engajado, já que está ciente do que esperam dele e do seu potencial para exercer a sua função. Assim, esse profissional tem mais facilidade e segurança para expor ideias, sugerir melhorias e até mesmo influenciar positivamente o ambiente de trabalho. Em resumo, um processo de recrutamento e seleção assertivo funciona como uma peneira: são selecionados os perfis mais qualificados, aptos e mais alinhados aos valores organizacionais.

Porém, a falta de um processo estruturado ou mal executado pode gerar cansaço, estresse e até mesmo perdas financeiras consideráveis para a empresa. Veja mais no próximo tópico.

Confira: Recrutamento e seleção: como otimizar o ROI?

Mas então como deixar o processo mais assertivo e motivar os candidatos e futuros colaboradores? 

Sabemos que erros são comuns e podem acontecer por vários motivos, porém, mesmo tendo a consciência de que isso pode ocorrer em qualquer projeto, é crucial prevenir-se, principalmente quando falamos em recrutamento e seleção.

Então, quer entender como deixar o processo mais assertivo e motivar os candidatos e futuros colaboradores? Entenda e saiba como prevenir erros.

Você pode gostar ainda: Saiba tudo sobre cultura organizacional: importância, benefícios e como implementar

Planejamento no recrutamento e seleção

Profissionais se motivam quando se deparam com uma empresa que ofereça mais do que benefícios, como um plano de cargos e salários. Ele permite que o candidato saiba, de forma precisa, o que esperar do futuro da sua carreira, ou seja, detalha a chance de crescimento e aumentos de salários mediante produtividade. 

Isso é um grande atrativo e diferencial para os candidatos ao passo que também ajuda a empresa a organizar as competências para cada cargo.

Para uma contratação assertiva, é preciso pontuar:

  • requisitos essenciais para quem for preencher uma vaga;
  • as capacitações que precisa ter o candidato ideal;
  • definir os responsáveis por cada etapa da seleção;
  • quanto tempo deve durar o processo.

Na verdade, quanto mais informação, melhor para entender o que priorizar para preencher a vaga. Caso contrário, é possível que a empresa atraia perfis incompatíveis com seus valores e cultura, bem como o modelo de negócio. O que no futuro pode gerar alta desmotivação e também rotatividade de pessoas. Cabe lembrar que esses contextos também influenciam na parte financeira. Sem definir bem o resultado que se espera de uma contratação, as chances de fazer uma contratação errada é enorme.

Mapeamento de competências

Grande parte das empresas que estão com vagas abertas, esquecem-se de acrescentar habilidades comportamentais às exigências para o cargo, o que pode se configurar como uma falha estratégica, pois do que adianta, por exemplo, um líder sem capacidade de comunicação? Para mapear competências, há ferramentas hoje em dia que mostram traços da personalidade por meio de ciências e dados, como é o caso do teste de personalidade MAPA.

No caso da liderança, que falamos acima, por exemplo, o perfil deveria contar com capacidade de desenvolvimento, tomada de decisão, visão estratégica, mente inovadora, resiliência, administração de conflitos, entre outras características específicas ao cargo. Visto isso, a falta de um mapeamento de competências pode ser um dos erros que a sua empresa está cometendo ao realizar o processo de recrutamento e seleção.

Você pode gostar ainda: Identificação de gaps de habilidades e competências

Atenção à cultura da empresa para melhoria do recrutamento e seleção

Se a empresa não se propõe a recrutar e selecionar com base em seus valores e propósitos, buscando alguém que venha para somar a eles, ela corre o risco de contratar pessoas que não compactuam com sua visão de negócio ou de comportamentos, por exemplo. O que tende a ser uma falha. 

Colaboradores que conhecem a missão e os valores da organização – e compactuam com eles – estão mais dispostos a atingir metas, se adequar a mudanças e debater ideias rumo ao crescimento. 

Uma empresa que não se posiciona não inspira motivação, confiança, tampouco transparência. Sabendo disso, é essencial não só passar essas informações a todos os candidatos e potenciais talentos, mas também garantir que os valores sejam de fato vividos e compartilhados por todos.

Ter um tempo adequado para início e fim do processo 

Organizar as etapas do processo de recrutamento e seleção é importante para manter o interesse do candidato à vaga. Processos morosos, além de gerarem custos para a empresa, podem fazer com que ela perca talentos. 

Os candidatos podem ficar desmotivados achando o processo burocrático demais ou mesmo podem ser abordados por outras organizações durante o período. Então, avalie quais etapas são realmente essenciais e não estenda demais o tempo entre uma e outra. E, claro, mantenha o contato durante o processo e sempre ofereça feedbacks, sejam eles positivos ou não. 

Outras falhas consistem em:

  • Não aplicar testes de habilidades para agregar as demais informações adquiridas nas outras etapas do processo;
  • Divulgar as vagas em locais errados;
  • Não levar em conta os indicadores;
  • Não aplicar testes;
  • Não levar em consideração o fit cultural, ou seja, as características que o colaborador tem em comum com os valores da empresa, que envolvem sua maneira de ser, de pensar, agir, falar, assim como suas expectativas com a vaga e com a empresa;
  • Por fim, não apostar na tecnologia a seu favor.

O teste de personalidade MAPA como solução no recrutamento e seleção

Unindo tecnologia, mapeamento de competências e análise do fit cultural, o teste de personalidade MAPA pode ser a solução que você procura para ter um processo de recrutamento e seleção mais estratégico.

A ferramenta gera dados por meio da avaliação de personalidade ao avaliar até 48 traços, trazendo uma profunda análise que pode auxiliar na tomada de decisões dentro da empresa. 

Conheça os diferenciais no nosso instrumento:

Amostra 100% brasileira

O Mapa é um teste de personalidade totalmente desenvolvido no Brasil, que leva em conta a nossa diversidade cultural.

Teste aprovado pelo CFP

O SATEPSI, que é o Sistema de Avaliação de Testes Psicológicos, requer que os testes tenham pelo menos um estudo de validade e um de precisão para serem aprovados.

Indicadores específicos para avaliação de riscos

Escala do teste que verifica a disposição da pessoa em se envolver com situações de risco. Nesse sentido, o MAPA possui cinco estudos de validade e dois estudos de precisão.

Ferramenta on-line com sistema de gestão

Uma possível reescrita do texto é:

O sistema funciona totalmente pela internet, sem necessidade de instalação, e guarda os testes em servidores seguros na Nuvem, que fazem backup regularmente.

Por fim, quer saber mais? Então, fale com um especialista MAPA agora mesmo!