Atividades em altura: como identificar tendências a riscos?

Atividades em altura: como identificar tendências a riscos?

A NR 35 tem a função de pontuar os requisitos mínimos de proteção para atividades que tem tendências a risco em altura. A princípio, elas são o exercício executado acima de dois metros. Para qualquer atividade acima disso, é preciso que o trabalhador tenha feito um curso para certificação em NR 35.  Entre os deveres que a plataforma exige estão: a realização da Análise de Risco – AR e a emissão da Permissão de Trabalho – PT.

O que são atividades em altura?

Para realizar trabalhos em altura, é preciso avaliar os possíveis perigos e tomar medidas preventivas. Trabalhos em altura são aqueles que se desenvolvem acima do nível do solo, como em estruturas metálicas, coberturas, pontes, etc. Esses trabalhos podem causar quedas e lesões graves se não forem feitos com segurança.

As atividades em altura podem ser encontradas em diversos setores e segmentos, como construção civil, manutenção industrial, serviços de telecomunicações, energia elétrica, entre outros. Alguns exemplos de atividades em altura incluem instalação e manutenção de estruturas, pintura, limpeza de fachadas, reparos em telhados, montagem de equipamentos, entre outros.

É fundamental que os profissionais que realizam atividades em altura sejam devidamente treinados e capacitados para executar essas tarefas com segurança. Além disso, é necessário o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) adequados, como capacetes, cintos de segurança, talabartes, entre outros, para prevenir quedas e minimizar os riscos.

As atividades em altura também exigem o cumprimento de normas e regulamentações específicas, como a NR 35 (Norma Regulamentadora nº 35), que estabelece requisitos mínimos para a realização dessas atividades com segurança.

Atividades em altura: como identificar tendências a riscos?

Como o Mapa pode ajudar a evitar riscos de acidentes em atividades em altura?

Ao levar em conta este contexto de trabalho, o Mapa permite identificar a susceptibilidade do colaborador para se envolver em risco de acidente físico. Isso por precipitação e negligência, de modo a proporcionar uma avaliação psicológica assertiva.Através do teste, é possível verificar a disposição e o gosto da pessoa de envolver-se com o risco. Assim, podemos ver também a energia. O profissional está relaxado mentalmente? Ele está cansado? Como anda a sua habilidade corporal? Esta última reflete o domínio e confiança que uma pessoa tem do próprio corpo.

Para os requisitos da NR35, destaca-se que a habilidade corporal global é crucial para que o colaborador consiga fazer tarefas ligadas ao equilíbrio e coordenação geral. Por exemplo, atividades em altura. Além disso, saber como o sujeito lida com o risco, se o teme ou encara com confiança, também é um ponto essencial.

Por fim, para conhecer mais sobre as vantagens do teste Mapa, aprovado pelo CFP,  fale com a gente aqui.