O papel dos testes psicológicos para trabalhadores que operam em espaços confinados

O papel dos testes psicológicos para trabalhadores que operam em espaços confinados

Já vimos que os testes psicológicos são uma ferramenta indispensável em diversos campos de atuação, e não é diferente para os trabalhadores que desempenham suas atividades em espaços confinados. 

Uma das competências específicas que os profissionais que operam em espaços confinados devem ter é a capacidade de lidar com os aspectos psicológicos que envolvem esse tipo de atividade. O trabalho em espaços confinados pode ser desafiador, exigindo habilidades técnicas e emocionais para garantir a eficiência e segurança. Por isso, é importante que os profissionais sejam preparados para enfrentar a complexidade e as dificuldades que podem surgir nesse tipo de ambiente.

Então, qual o papel da avaliação psicológica para esses colaboradores? Entenda!

Um desafio chamado espaço confinado

Trabalhar em espaço confinado é uma realidade para muitos profissionais que atuam na indústria, construção civil e outras áreas que envolvem espaços limitados. Esses espaços, não projetados para ocupação humana de forma contínua, podem ser tão pequenos que, muitas vezes, nem permitem a movimentação adequada para executar as tarefas necessárias.

O trabalho nesses ambientes pode parecer simples, mas é extremamente complexo e perigoso. A falta de ar fresco, a pouca iluminação, a falta de espaço e outros fatores podem colocar em risco a segurança do trabalhador. Por isso, é fundamental que as empresas que contratem trabalhadores para essas funções sigam as normas de segurança e adotem medidas preventivas eficientes.

Entre os desafios da área estão a necessidade de realizar atividades em áreas estreitas e de difícil acesso, a exposição a riscos químicos e biológicos, a necessidade de trabalhar em equipes compactas, entre outros. Além disso, as condições do ambiente podem levar os trabalhadores a estarem sujeitos a situações de estresse e ansiedade.

Para lidar com isso, os trabalhadores precisam estar bem preparados e ter conhecimentos técnicos adequados sobre segurança e uso de equipamentos de proteção individual. Também é importante ter treinamento específico para o trabalho em espaços confinados e estar ciente dos riscos e precauções de segurança.

Por fim, as empresas que contratam trabalhadores para essa função têm um papel crucial na segurança desses profissionais. É importante que as empresas forneçam equipamentos de proteção adequados, realizem inspeções regulares e adotem medidas preventivas para garantir um ambiente de trabalho seguro e saudável.

E é aí que entra a importância de contar com uma avaliação psicológica, sobretudo, com a proposta de prevenir riscos. 

Veja tudo o que você precisa saber sobre a NR33 e o trabalho em espaços confinados.

Por que usar avaliação psicológica em espaços confinados

Em espaços como esses, a avaliação psicológica pode ajudar a identificar possíveis riscos que acabam por afetar a capacidade de o profissional realizar seu trabalho de forma adequada. A ferramenta também pode trazer à tona as potencialidades do indivíduo, que, por sua vez, podem ser úteis na realização das demandas, tais como competências de resolução de problemas, adaptabilidade e proatividade.

A avaliação ainda pode ajudar a prevenir situações potencialmente perigosas e a melhorar a comunicação entre a gerência e os trabalhadores, o que pode auxiliar na prevenção do adoecimento mental associado ao trabalho em espaços confinados.

A avaliação psicológica, portanto, pode ser o braço direito da empresa, já que auxilia no desenvolvimento do colaborador, tornando-o capaz de desempenhar as tarefas com segurança e eficiência. Vale dizer que, ao saber quais são as necessidades e desafios específicos dos espaços confinados, os profissionais da psicologia podem desenvolver programas de treinamento para ajudar os trabalhadores a lidar com os desafios.

Veja também o que é comportamento seguro e como as ferramentas MAPA podem ajudar empresas.

Avaliação psicossocial e psicológica na prevenção de riscos 

Sabendo dos riscos dos espaços confinados, as empresas devem estar atentas à segurança e à saúde dos colaboradores. Assim, podem evitar turnover, absenteísmo, adoecimento mental e acidentes de trabalho. 

Na MAPA, indicamos às empresas e indústrias a avaliação psicossocial, ou seja, uma análise que direciona os profissionais que atuam em situações de risco. Claro, sem deixar de levar em consideração o alto índice de estresse e sofrimento aos quais eles são submetidos no dia a dia para a realização do trabalho.

A avaliação psicossocial considera toda a atividade laboral e envolve a compreensão das correlações entre as tarefas, a organização da jornada e intensidade, relações interpessoais, fatores externos e psíquicos, aptidões, valores, crenças e desejos do indivíduo

Com ela, é possível identificar, por exemplo, aspectos comportamentais, características e perfil psicológico do sujeito. Bem como identificar fatores de riscos psicossociais atrelados às suas vivências. Dessa forma, é possível prevenir acidentes de trabalho, doenças ocupacionais e até mesmo o esgotamento profissional, como o Burnout

Saiba mais sobre avaliação psicossocial AQUI!

Teste de personalidade para espaços confinados

Da mesma maneira, também indicamos o teste de personalidade MAPA, uma ferramenta aprovada pelo CFP capaz de gerar dados seguros e preditivos por meio da avaliação da personalidade. 

O MAPA avalia até 48 traços. Sendo assim, traz uma profunda análise que pode auxiliar na tomada de decisões dentro da empresa, inclusive quando o assunto é prevenção de acidentes. 

A amplitude de traços avaliados por este teste permite resultados mais profundos e, assim, mais eficientes.

Quer saber mais? Então, clique aqui