Pets e saúde mental: parceria de sucesso

Pets e saúde mental: parceria de sucesso

Viver sozinho é uma realidade cada vez mais frequente na sociedade atual, seja por opção ou por necessidade. Essa experiência traz novos desafios e oportunidades para quem assume a liderança de um lar. No entanto, também pode gerar emoções intensas e inéditas, que afetam a saúde mental de quem busca o sucesso pessoal e profissional. Por isso, é importante cuidar do bem-estar emocional e buscar apoio quando necessário.

Nesse contexto, é comum que elas se sintam mais solitárias e busquem um companheiro pet para compartilhar a rotina. Comportamento que foi evidenciado em casos de isolamento social extremos como o vivenciado durante a pandemia de Covid-19. Segundo dados da União Internacional Protetora dos Animais (UIPA), no primeiro trimestre de 2020, a procura por adoção de cães e gatos aumentou 400%. 

Já um levantamento do Radar Pet 2021, realizado pela Comissão de Animais de Companhia (Comac) do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal (Sindan), apontou que 30% dos pets de estimação foram adotados durante o período pandêmico, sendo que 23% foram os primeiros bichinhos de seus tutores. 

Ter uma parceria com um animal de estimação em casa pode trazer muitos benefícios para a saúde mental e física das pessoas. Essa é a conclusão de vários estudos que mostram como os pets podem reduzir o estresse, a ansiedade, a depressão e até mesmo a pressão arterial. Por isso, neste texto, nos juntamos à Guiavet, plataforma de saúde preventiva de cães e gatos, para explicar como cuidar bem dos seus amigos peludos pode fazer bem para você também.

Benefícios dos pets para a saúde mental

Os efeitos dos pets para a saúde mental das pessoas já foram comprovados por diversos estudos científicos. De acordo com pesquisas, ter um animal de estimação em casa inclui demonstração incondicional de afeto e aceitação, amor sem julgamento e demanda por interação. O suporte social fornecido, juntamente ao aumento da interação social, levam a efeitos fisiológicos, neuroquímicos e psicológicos positivos. 

Levantamentos da Western Carolina University mostraram que os pets, além de ajudarem no bem-estar psicológico ainda contribuem quando o assunto é saúde física. Os animais ajudam a elevar as taxas de sobrevivência, estimulam os exercícios físicos e até, como consequência, contribuem para a redução do índice de ataques cardíacos.

Outro aspecto que merece destaque nessa relação é que o contato físico com o animal de estimação pode ajudar a estimular os níveis de serotonina, um neurotransmissor que é essencial para a regulação dos níveis de humor.

Dessa forma, o tutor pode ter sua vida melhorada em diversos âmbitos da vida pessoal e profissional. No ambiente de trabalho, os benefícios podem refletir em uma melhor entrega, mais engajamento e produtividade, bem como na redução de turnover e absenteísmo.

Efeitos comprovados 

Os efeitos da presença de pet em casa são tão notórios que foram relatados por tutores em vários levantamentos pelo mundo. De acordo com um estudo realizado em 2021 pela Human Animal Bond Research Institute (HABRI), 74% das pessoas relataram uma melhora na saúde mental em decorrência da relação com seu animal de estimação. Além disso, 75% dos entrevistados também perceberam uma melhora nos níveis emocionais de um amigo ou familiar devido à presença de um pet.

Outro estudo, com mais de 6.000 participantes do Reino Unido, mostrou que mais de 90% dos entrevistados acreditam que os pets os ajudaram a lidar emocionalmente com o confinamento da pandemia. Além disso, 96% disseram que, graças aos animais, mantiveram-se ativos em suas rotinas de atividades físicas e interação social.

Isso significa que, além de serem companheiros leais carregados de afeto, os animais podem contribuir com a saúde emocional. Eles podem reduzir estresse, ansiedade, depressão e a sensação de solidão, que assolou diversas pessoas na pandemia. Afinal, eles proporcionam uma sensação de segurança, confiança e suporte emocional que ajuda as pessoas a lidarem com as suas emoções.

Os benefícios são muitos, mas, de forma geral, podemos listar:

  1. Mais felicidade: quando o ser humano recebe afeto, libera os hormônios serotonina e dopamina. As substâncias colaboram para a felicidade, tendo uma ótima ação em pessoas com depressão e ansiedade. 
  2. Menos sensação de solidão: ter a companhia de um pet ajuda com que o tutor não se sinta totalmente só e atenua o sentimento de solidão; 
  3. Estímulo de exercícios físicos e socialização: os passeios com animais são um incentivo para que o tutor se movimente e use a caminhada como uma nova atividade física. Além disso, as saídas diárias com o pets incentivam a socialização por meio do contato com outras pessoas e tutores. 
  4. Novas habilidades e responsabilidades: adotar um pet faz com que o tutor desenvolva senso de responsabilidade e organização. Afinal, ele acaba de se tornar responsável por um vida que depende exclusivamente dele; 
  5. Ajuda na autoestima: o forte  laço construído entre pet e tutor colabora para que ele se sinta melhor, contribuindo, assim, para a elevação da autoestima. Além disso, as pessoas que têm animais se sentem mais acolhidas, já que não há julgamentos ou preconceitos nessa relação; 
  6. Diminuição do estresse: a convivência diária com um animal reduz os níveis de cortisol, hormônio ligado diretamente ao estresse; 
  7. Diminuição da pressão arterial e coração mais saudável: estudos já comprovaram que tutores de pets apresentam pressão arterial e frequência cardíaca mais baixas durante o repouso do que os casais que não têm animais. Pesquisas também mostraram eficácia na presença de bichinhos de estimação com crianças que têm pressão alta. Após a convivência, os valores melhoraram. Outra contribuição é que a presença de cães aumenta a taxa de sobrevivência em pacientes que passaram por ataque cardíaco quando comparados aos que não têm cachorro. 
  8. Sistema imunológico mais forte: crianças que têm contato com animais de estimação desde os primeiros meses de vida têm menor chance de desenvolver alergia e asma, além de outras doenças respiratórias. 

Reflexos na personalidade e ambiente de trabalho

Com tantos benefícios, o tutor pode observar melhoras em diversos aspectos da vida, inclusive no âmbito profissional. Há estudos científicos que comprovam que os animais de estimação são capazes de impactar na personalidade de seus tutores.

Pesquisas da Universidade de Cambridge, por exemplo, descobriram que as pessoas que criam um forte vínculo com seus animais podem desenvolver uma personalidade mais expansiva, aberta e extrovertida. Logo, são pessoas que têm maior interesse e abertura a novas experiências, curiosidade aguçada, tolerância às diferenças, maior empatia e capacidade de trabalhar em equipe. Características que podem ser um diferencial no mercado de trabalho. 

Além disso, pessoas que possuem um pet podem ter uma maior satisfação com a vida de forma geral, maior segurança e sentimento de conexão com o próximo. Um animal também pode gerar um impacto positivo na autoimagem e na forma de enxergar a vida, de acordo com estudo da Universidade de Yale. Segundo a instituição, tutores de pet têm índices menores de estresse, são mais confiantes e resilientes. 

Logo, pessoas menos estressadas e ansiosas têm melhor desempenho no trabalho. Os colaboradores podem ter mais foco, concentração, motivação, produtividade e energia. O senso de responsabilidade e organização requeridos na tutela de um pet também podem ser características que fazem diferença no ambiente corporativo. 

Veja também: Como cuidar da saúde mental no trabalho

Conte conosco quando o assunto é saúde mental & pets

Então, agora que você já sabe dos benefícios de ter um pet em casa, pode ter aflorado o desejo de adotar um. Faça isso de forma segura e responsável e, quando o animal chegar em casa, a Guiavet pode te ajudar. A plataforma on-line completa de saúde preventiva de cães e gatos te auxilia em todo o desenvolvimento do seu bichinho de estimação. Saiba mais aqui

Já a MAPA pode te auxiliar na preservação da saúde emocional, sobretudo no ambiente de trabalho. Comece pelo teste de personalidade MAPA. O instrumento, aprovado pelo CFP, avalia um conjunto de construtos organizadores da personalidade, por meio de uma estrutura de fatores testada empiricamente no Brasil. 

Por fim, o teste psicológico avalia até 48 traços da personalidade, trazendo uma análise que pode auxiliar o RH na tomada de decisões dentro da empresa. 

SAIBA MAIS!